Muitos iniciantes e até mesmo desenvolvedores experientes, mas que não conhecem a linguagem, questionam quais as razões para escolher, e definitivamente usar o PHP como a linguagem de programação para um projeto de pequeno ou grande porte, primeira linguagem ou projeto freelancer.

Muitos adoram odiar a linguagem PHP, mesmo assim, um número expressivo de desenvolvedores a usam.

De tópicos do Reddit a postagem populares no Twitter, haters e lovers estarão presentes discutindo fervorosamente sobre o PHP.

Mas ao invés de simplesmente apontar questões por odiar ou amar, para dar opiniões ou sugestões, vou descrever neste artigo razões para escolher a linguagem PHP no ano de 2022.

É importante iniciar dizendo que ela é muito mais do que apenas uma linguagem de script de servidor web. Com ela é possível construir APIs, processos em segundo plano (background), sistemas com gerenciamento complexo de execução em filas (Queues) e aplicativos CLI.

Primeiramente, é melhor compreender o contexto histórico da linguagem PHP para entender grande parte das críticas a ela.

Por que as críticas, muitas vezes, o ódio por PHP?

Muitos desenvolvedores gostam de criticar outras linguagens, muitas vezes sem conseguirem explicar corretamente o motivo. Seguem alguns contextos históricos para explicar este senso comum entre tantos:

1. Percepção Equivocada

É verdade que a maioria das pessoas que odeia PHP o faz com base no que seus amigos desenvolvedores dizem e na primeira pesquisa no Google usando termos como “por que PHP é ruim”.

Mas esta não é a base principal. As pessoas seguem “celebridades” da área, tendências e o que foi considerado hype por alguns anos, desde a época do PHP versão 3.

Porém, a linguagem cresceu e evoluiu muito, tendo em cada major version lançada, grandes saltos em qualidade e funcionalidades. Mesmo assim, o volume de material que cita os defeitos das versões antigas ainda é constantemente pesquisado e lido por pessoas que não levam estas evoluções em consideração.

Ainda existe a percepção equivocada de desenvolvedores que criticam abertamente, sem aprofundarem-se no estudo da linguagem e seu ecossistema, trazendo críticas por falta de conhecimento prático.

Existe ainda um grupo de desenvolvedores que se frustra com a linguagem, por estarem presos, codificando nela porém em realizando manutenção em aplicativos legados, desta maneira não tendo a oportunidade de conhecer as evoluções da linguagem PHP.

É possível fazer um paralelo com a linguagem javascript. Muitos odiavam. Porém, a percepção mudou, principalmente por causa de NodeJs e isso abriu caminho para es6, es2016 e uma explosão de frameworks frontend como React, Angular, VueJS, Alpine e muitos mais depois disso.

A percepção da comunidade mudou, não, necessariamente, a linguagem de programação, mas é claro, tanto PHP quanto Javascript sofreram evoluções.

PHP e seu Passado Sombrio

A linguagem PHP percorreu um longo caminho desde sua criação em 1994.

Ela foi originalmente planejada para ser um mecanismo de modelagem em cima de C lang, assim como Twig, Blade ou Jinja para forks Python, ou ainda EJS no mundo nodeJs.

Quais foram os primeiros usuários?

Os desenvolvedores iniciantes, que acharam muito fácil de usar e queriam fazer nela tudo o que se espera de uma linguagem. Assim A linguagem cresceu muito além do objetivo inicial do mantenedor. O criador Rasmus Lerdorf.

Na época os recursos que foram introduzidos na linguagem sofreram de qualidade, pela falta de um design adequado.

Um exemplo é a extensão Libapache que permitiu servidores web Apache executassem scripts PHP, algo nunca antes feito desta época, bem como a extensão MySQL – mysqli, agora obsoleta, que simplificou a criação de páginas da web dinâmicas, acessando dados em bancos de dados, quando o padrão para época eram páginas estáticas.

A pressão dos usuários para que a linguagem fizesse mais, e a falta de uma visão adequada do seu futuro, trouxe muitas inconsistências, imprevisibilidades e algumas inconsistências aqui e ali.

Mesmo com todas estas incertezas, é necessário reconhecer e tirar o chapéu para Rasmus Lerdorf e a equipe de desenvolvimento inicial, por sua contribuição para o PHP, caso contrário não estaríamos tendo esta “conversa” hoje.

Dizem que é a necessidade que traz a inovação, e não o contrário. E PHP permanece fiel a este preceito.

3. As escolhas de sintaxe

Php nasceu com alguns “problemas” com a sintaxe, ao menos inconsistências iniciais de nomenclatura, para ser honesto, algumas coisas ainda me incomodam – não dá para ser perfeito.

Porém é necessário entender que muitas são escolhas que, novamente não invalidam, mas foram sempre alvos de críticas.

Mas os haters disparam e focam nesta característica (que por muitas vezes é isto e não um defeito) para invalidar o uso da linguagem PHP.

Aqui estão alguns exemplos:

a) nl2br() – tem um número em seu nome, porém outras funções internas não.

b) Sublinhados – underscore, snake case … vs sem pontuação inferior, por exemplo, fopen(), str_replace(), strtolower(), str_shuffle(), esta falta de padronização por vezes incomoda.

c) Funções desnecessárias – para funções de string com distinção entre maiúsculas e minúsculas vs sem distinção entre maiúsculas e minúsculas, por exemplo str_replace () vs str_ireplace (). Algumas linguagens preferem que o desenvolvedor utilize várias funções, como strtolower() e então str_replace, por exemplo.

d) O uso do carácter $ (sinal de cifrão) para identificar variáveis – esta característica me incomodava no começo, hoje sinto falta em alguns momentos em outras linguagens.

e) O uso de aspas francesas ( -> ) – traço sinal de maior, ao invés de ponto (.) para passar a mensagem de acesso em métodos e propriedades – esta característica sempre me incomodou.

Eu poderia continuar, mas esses são apenas alguns exemplos de problemas ou características únicas, constantemente criticadas, na sintaxe da linguagem PHP, ainda teria a ordenação dos parâmetros, mas vou parar por aqui 🙂 .

Aplicativos legados

Nós, desenvolvedores, realmente odiamos legado. Então, sendo o PHP uma das linguagens de programação para Web mais populares, e das mais antigas, em produção, não há como fugir deste fantasma.

Muitos desenvolvedores acabou sendo arrastado para o pesadelo de manter sistemas legados em versões antigas do PHP, e por causa destas circunstâncias, agora odeiam a mesma.

Aqueles que mudaram para outras linguagens e tecnologias, ainda estão presos no pensamento de que o PHP ainda está nos dias do PHP 3 ou 4.

Razões para utilizar PHP

Vamos agora elencar várias razões do por quê utilizar a linguagem de programação PHP em 2022.

Não entrarei nos fatos de que aproximadamente 80% da internet roda sobre PHP, boa parte dos sites estão em WordPress, ou que grandes empresas como Facebook, Slack, Wikipedia, PicPay a utilizam como uma das principais linguagens em suas stacks.

PHP é rápido

Em comparação com outras linguagens interpretadas, como Ruby ou Python, PHP é muito rápido.

Isso se deve em grande parte à sua arquitetura, e seus laços estreitos com a linguagem C.

Além disso, a equipe principal do PHP vem trabalhado para que desde o PHP versão 7, ele ganhe em performance, reescrevendo o código subjacente para melhorar o desempenho, e eles têm conseguido.

Esta versão sozinha mais do que dobrou o desempenho em comparação com as versões anteriores.

Artigo em construção

Deseja ler o restante do artigo, me siga no Twitter @nunomazer para receber a informação de quando ele for lançado.

Referências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *